Google+ Badge

PROSÓDIAS

FACEBOOK

FESTINA LENTE PELO MUNDO

Map
Loading...

Follow by Email

BO ! (aramaico)

novembro 24, 2008

CONVITE (tenho 4 contos nesta edição de lançamento)

AUTORES LISTADOS: Ana Cristina Rodrigues, Ataíde Tartari, Fábio Fernandes, Geraldo Lima, Jacques Bárcia, J.P.Balbino, LIma Trindade, Luis Bras (Portugal), Marco Antônio de Araújo Bueno*, Nelson de Oliveira (coord.), Roberto de Souza Causo, Rogers Silva e Tiago Araújo.
(Escritores de outros estados gravaram suas falas.)

novembro 17, 2008

"Processador Central"- Sci Fi publicado no Ganganta da Serpente

O link http://www.gargantadaserpente.com/coral/contos/maab_processador.shtml remete ao meu primeiro conto breve de ficção científica, do começo do ano. Com voz narrativa feminina e anterior aos experimentalismos de linguagem que marcariam os Sci Fi subseqüentes, como no "Sobre a Explosão na 'E.H.M'. - Desdobramentos", tão pouco palatável (era esta a idéia: sacudir os convencionalismos do meinstream) que não pontuou o suficiente para ser publicado, em definitivo, no complicado site Portal Literal. A propósito, todos o demais textos ( um conto que terminou entre os trinta finalistas no Off Flip/2008, uma crônica bem datada e os trinta microcontos - monofrásicos e de dez palavras, a maioria - foram publicados. Postarei os respectivos links oportunamente.

novembro 14, 2008

Lista com liks de publicações e de votações em 48h no P.LITERAL

LINKS DOS TEXTOS PARA VOTAÇÂO NO “PORTAL LITERAL”

[ O LINK DO MEU PERFIL ESTÁ NO “FESTINA LENTE” ]

“A Fila” - http://www.literal.com.br/banco/texto/a-fila-1#c139 PUBLICADO!

“Sobre a Explosão na E.M.H. – Desdobramentos” -http://portalliteral.terra.com.br/banco/texto/sobre-a-explosao-na-ehm-desdobramentos-1


Infelizmente, sua colaboração para o Portal Literal "Sobre a Explosão na E.H.M.– Desdobramentos" não recebeu votos suficientes para a publicação definitiva no site. Ela, porém, continuará disponível para você e todos os demais visitantes do site na página do seu perfil, que pode ser acessada pelo
link:http://www.portalliteral.com.br/banco/texto/sobre-a-explosao-na-ehm-desdobramentos-1#c

“A História sem Fim...” -http://portalliteral.terra.com.br/banco/texto/a-historia-sem-fim


Infelizmente, sua colaboração para o Portal Literal "A HISTÓRIA SEM FIM" não recebeu votos suficientes para a publicação definitiva no site. Ela, porém, continuará disponível para você e todos os demais visitantes do site na página do seu perfil, que pode ser acessada pelo link:http://174.133.216.154/banco/texto/a-historia-sem-fim#c

“Meã Culpa” PUBLICADO!

Sua colaboração para o Portal Literal "Hora e vez de Pardoca" acaba de passar para a sala de votação no site e já pode ser votada no link:http://www.portalliteral.com.br/banco/texto/hora-e-vez-de-pardocaCom 20 votos nas próximas 48 horas a colaboração será publicada definitivamente no Portal Literal.

Sua colaboração para o Portal Literal "Microcontos até 50 caracteres ou monofrásicos (10 palavras)" acaba de passar para a sala de votação no site e já pode ser votada no link:http://www.portalliteral.com.br/banco/texto/microcontos-ate-50-caracteres-ou-monofrasicos-10-palavras-1Com 20 votos nas próximas 48 horas a colaboração será publicada definitivamente no Portal Literal.

Sua colaboração para o Portal Literal "O Ceni e outras cenas" acaba de passar para a sala de votação no site e já pode ser votada no link:http://www.portalliteral.com.br/banco/texto/o-ceni-e-outras-cenasCom 20 votos nas próximas 48 horas a colaboração será publicada definitivamente no Portal Literal. Caso não os obtenha, continuará de todo modo disponível no seu perfil no site.

novembro 11, 2008

Link do meu perfil no PORTAL LITERAL. Zeus lhe pague!

http://www.literal.com.br/perfis/araujobueno

Então, depois, os raros leitores aguardam o LINK DE VOTAÇÃO , etc. et nauseum. É.

Escritores pedem voto em semáforos (para publicação no Portal Literal!)

Rito constrangedor esse do P. Literal ! Comentava com o escritor Rodrigo Novaes,
autor publicado ("Vórtice Famigerado"). Filas de Edição; filas de publicação mediante
envio de links aos leitores. Em todo caso, lá, atendo por araujobueno e , para votasrem
nos meus ensaios, poesias ou, muito especialmente - nos meus breves Sci Fi - eis o link:

http://www.literal.com.br/banco/texto/a-fila-1

Ao clicar, estarão (suponho) votando num dos contos que sairão na revista PORTAL
NEUROMANCER no próximo dia 7 . (A)cabalístico isso, não?! Ironia: estarão votando
no conto "A Fila". Lá no Literal há filas; filas de edição, filas de publicação...

novembro 10, 2008

"Tejo"_Na MINGUANTE 12- Nov/2008 (lapsus linguae)

Tejo
Podia nadar, fazer regata. Hoje posso não jogar lixo nene...

Marco Antônio de Araújo Bueno

{O microconto original tinha, como título "Tietê" e terminava com a palavra "nele". Como o mote desta edição era "Fado" achei simpático substituí-lo pelo tão pessoano nome do rio Tejo, "que não passa pela minha aldeia".Mas o que não passou pelo revisor foi "nene"...Também não publicaram na falecida sessão "MICROTEORIAS", congelada há muito, o fragmento teórico da minha tese de doutorado ("Brevidade e Epifania na Micronarrativa Contemporânea") enviado já para edição anterior, e não publicado. Esse lugar de produção teórica da internacional e única revista de micronarrativas, tão prolífico que o desejamos -será que não apostam mais "nene"? Todavia, confira-se o Fado (sem lapsus aqui; aqui não!) no :www.minguante.com

novembro 07, 2008

"Esse Tempo Insondável..." Conto breve (não Sci Fi)

“Esse Tempo Insondável...”

Por Marco Antônio de Araújo Bueno


Despedaçada, invadida pelas entranhas; vísceras expostas como caqui despencado ribanceira abaixo. Quase que jazia sobre superfície lajeada, viscosa, eivada de fibras viscosas vermelhas e globulências esbranquiçadas. Ao redor daquele mosaico destroçado, instrumentos pontiagudos de incisão e sondagem perfurantes e ferramentas percussivas em estado de repouso gritante, transpiravam ainda ofegantes. Imersos naquela pulsação sinistra dos atos irreversíveis. A marcha wagneriana de fundo enroscou e emitia guinchos agudos de estourar os ouvidos. Um celular reclamando em sons de urgência.
Bêbado, com seu avental branco entreaberto, a genitália exposta à fresta da persiana que prometia mais calor pelo nublado metálico, ele estava confuso e exausto apoiando-se de costas numa geladeira escancarada ainda, o pulso esquerdo latejando de tanto cortar e mexer e perfurar, distendia-se ao longo do corpo exangue enquanto o direito alcançava o aparelho numa torpeza que se dissolvia – dever cumprido – pelos ladrilhos ensebados, escorregadios. Hora de prestar contas e planejar as ações seguintes, meticulosamente, contra o tempo e as expectativas tão desfavoráveis ao feito, atendeu: Alô! “Tânia, demorou! Operação melindrosa, deu trabalho sim, ufa! Ta feito!”
Cambaleou, tomou mais uma talagada e começou a jogar água naquele cenário que o manteve em tensão ótima até então. Ao passar o rodo lembrou-se que a área externa estava imunda e escorregadia também, mas o sol já ofuscava a vista pela porta de vidro toda embaçada. Pegou o celular, tonto, meio em êxtase. Nem precisava ir pro México, regozijou-se. Tamanha perícia, planejamento e muita fé no seu taco. Riu-se e lembrou-se do perito...Mas concentrou-se em limpar os vestígios todos daquela lambança. Depois arranjaria o resto, telefonaria...Teria esquecido algum detalhe?Franziu a testa, e aquela...:
“Tânia, minha tesuda, quase ia esquecendo, aquela sua bermudinha verde-musgo, bota ela que o almoço vai ser na mesa da piscina. Vou ligar pro meu amigo, aquele perito do churrasco do hospital. Virá com a namorada, ela faz a salada. Não disse que dava um ranguinho tropical hoje? Quer saber, antes de tudo vou me dar um choque térmico! É, um mergulhão de avental e tudo, pra cortar esta narcolepsia, essa aura de lagosta e caldeirada que me descalderou todo”, e gargalhou em disparada em direção à porta da área, sem ouvir o mas o caseiro não vinha pra limpar de manhãzinha?
Vinha.Veio, esvaziou a piscina e limpou toda a sujeira de folhagem do temporal da noite. Foi-se em silêncio. Ficou a foice: uma mancha vernelho-esbranquiçada de um metro e noventa, a três metros da porta de vidro esfumaçada; dois metros e meio da superfície escorregadia. Quase um simulacro do prato exposto sobre a bancada da cozinha, naquele instante em que Tânia entrou, sentou-se em posição de lótus e ficou meditando se fratura de crânio com morte cerebral não podia virar, com o tempo, alguma forma alentadora de...narcolepsia, depois de tudo. Qualquer virada; com tempo. Não irreversível!